Recuo das águas dos rios Muriaé e Preto traz tranquilidade. Alagamentos reduzem quase 100%

Rua Belisário, uma das mais atingidas na cidade em toda sua extensão
Rua Orlindo Salles, Barra: água chegou amais de um metro nas casas
Ponte do Napoleão: região já sem alagamentos

Prainha, uma das áreas mais afetadas. Quase sem alagamento nesta manhã

Muito lixo rio abaixo

Av. JK atrás da Rodoviária, liberada

Região da Barra já sem alagamento neste início de manhã de domingo (26). Voltamos já com mais informações sobre o recuo das águas do Ri Muriaé e Preto em Muriaé. Os alagamentos vão acabando nas áreas mais afetadas como a Prainha, Rua Belisário e outras ruas como do bairro Napoleão (já 100% sem alagamento), José Cirilo e região da Rodoviária. O recuo das águas na madrugada foi considerado excelente e ajuda a trazer tranquilidade para os muriaeenses.

PONTE SOBRE O RIO GLÓRIA, NA BR 116, EM MURIAÉ, TOTALMENTE LIBERADA

Ver Mais Notícias


7 Comments

  1. Opinião:
    Se o projeto de campanha de Renzo e Sr. José Braz tivesse saído do papel, hoje não teríamos estes problemas.
    A drenagem e reabilitação nada calha do rio Muriaé e urgente, necessária, não há mais tolerância.

    1. Já governaram uma vida, encheram as burras de dinheiro e não fizeram porque não fizeram. Simples assim. Assim como ninguém, desde o derrocamento da Cachoeira do Rosário ninguém nunca mais fez.

  2. ——— Forwarded message ———
    De: Gilvan Barbosa Gama
    Date: sáb., 25 de jan. de 2020 às 16:41
    Subject: As inundações são o prefácio do que já vaticinei.A segunda parte do caos sanitário agora cabe aos mosquitos.
    To Mídia Nacional
                                                  E AGORA… VÃO ACREDITAR OU NÃO?
    Não faz muito tempo, que com muito mais coragem que visão, anunciei via e mail à todos os meus contatos,que  a Zona da mata de Minas Gerais,inclusuive a cidade de  Belo Horizonte, mais cidades do sul do Espírito Santo  e também o norte do estado do Rio Janeiro, seriam vítimas de uma violenta epidemia de dengue e Chicungunia que teriam sua ocorrência de meados de Janeiro até a enchente das goiabas em fins de Março.Para que tal fato venha a correr as enchentes catastróficas  já se anteciparam,o que é não era  esperado, as enchentes que estão ocorrendo nessas regiões é o primeiro capítulo do que ainda está por vir. O excesso de água  nessas regiões vai trazer os mosquitos,que irão  causar a  epidemia que anunciei.A água complementa os mosquitos e vice-versa.Estou enviando junto a esse  oportuno lembrete, o email em que falei da epidemia.Nós os mosquitos da dengue e outros congêneres,retornaremos com fé e com força no verão de 2020. É só nos  aguardar com negligência sanitária e muita chuva.  No Brasil,estamos no início do verão de 2020 e começam a rarear os comentários na mídia  sobre os mosquitos,graças ao frio ártico que aconteceu na região sul e sudeste durante o outono passado. Eles,os mosquitos, se despediram do outono-verão,bronzeados e felizes levando com eles os incômodos e as mortes que aconteceram pela dengue, e que foram por mim anunciadas em email “facsímile”em meados de 2019.Reafirmo a partir de hoje, dia 18 de Janeiro de 2020 que lá pela metade da segunda quinzena de Fevereiro do corrente ano, até a enchente das goiabas em fins de Março de 2020, a dengue voltará a mostrar a sua face nefasta, ainda mais virulenta e assassina que em ocorrências anteriores,como faz a cada verão,agora também trazendo a Febre Mayaro na sua bagagem de assídua  veranista. Não se trata de fake news. Faço essa previsão advertência,diante das evidências por descaso e negligência que se nos apresentam as nossas autoridades sanitárias em relação ao mosquito transmissor dessa febre infecciosa  sazonal de todos os verões.Onde ocorrerão os primeiros casos de dengue,chikungunya e zika que estou anunciando com tamanha antecedência?Afirmo sem vacilo e com cristalina convicção que a região mais atingida  será o Estado do  Rio de Janeiro pelos seus antecedentes sanitários e pela crónica carência de verbas,tanto na prevenção como na saúde pública estadual.Regiões limítrofes com o Estado do Rio de Janeiro poderão também ser atingidas pelos mosquitos,tais como as cidades do Sul do Estado do Espírito Santo e a Zona da Mata em Minas Gerais.  A região Sul do Brasil,principalmente o Estado São Paulo  está também no rol das possíveis vítimas do mosquito Aedes Aegypti,no próximo verão, isso se as autoridades tanto de lá como as daqui, não se anteciparem ao mosquito na busca de uma solução séria e contínua para eliminar possíveis focos dessa praga alada chamada  AEDES  AEGYPTI. Esquecem as nossas autoridades sanitárias,que a estrada BR-101, que liga o Brasil de norte a sul,é o caminho por onde, via rodoviária,os mosquitos  transitam livres, leves e soltos,escolhendo as cidades por onde a rodovia passa, para nelas se instalar,deitar e rolar.Cabe também aos cidadãos dessas cidades e regiões de possíveis ocorrências, não deixarem de fazer também a sua parte na prevenção a toda e qualquer água parada, prevenindo e também  eliminando tais focos .Se for o caso fazendo denúncia à Prefeitura de vizinhos relaxados e negligentes que não cuidarem do seu domicílio e entorno,aplicando multas pesadas.No Brasil, infelizmente a saúde está sempre em débito com o cidadão pela falta de cobrar  educação sanitária de seus cidadãos com multas pesadas. A par disso,essa mesma Saúde, trata de forma curativa e não preventiva 90%de todas as doenças que acontecem. Espera-se pela doença acontecer para só então trata-la. As vezes não da tempo, morre-se por puro descaso sanitário, sempre no aguardo de soluções futuras.Repassem esse e mail a tantas quantas pessoas puder, e se possível não o elimine do seu computador.Ele será  notícia atual em fins de  Março de 2020. É só guarda-lo para conferir o que já disse em 2018 e 2019,e o que estou repetindo hoje.Cordialmente.Dr. Gilvan Barbosa Gama Piúma -ESTelefone.(28) 35201211 à noite das 19:00 às 21:00 hs.
      Livre de vírus. www.avast.com.  ResponderResponder a todosEncaminhar

  3. Agora é a hora daqueles curiosos que estavam ontem nas regiões alagadas, fazerem o multirão de limpeza.
    Seja pra limpar as ruas ou retirar essa grande quantidade de lixo que está na beira do rio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *