CORONAVÍRUS: PROTÓTIPO DO RESPIRADOR ARTIFICIAL MURIAEENSE VEM SENDO APRESENTADO À CLASSE HOSPITALAR

A cidade de Muriaé viveu essa semana dois momentos importantes, em meio à crise sanitária e econômica provocada pela ameaça real do coronavírus, o COVID-19. Primeiro, a visão social do empresário, Edson Condé, da Condex, em colocar sua empresa a disposição para ajudar a vencer a crise; e segundo, ele foi mais longe, criou um protótipo de respirador artificial, que já está sendo apresentado, analisado e recebendo sugestões de profissionais da área de saúde.

Nesta sexta-feira à tarde, nossa reportagem conheceu o equipamento, que já mais sofisticado, e o melhor, outro tipo, um mais moderno, que foi sugerido por médicos e fisioterapeutas, está na linha de produção, para também passar por análises e possível aprovação.

Tudo começou em fevereiro, quando o empresário, Edson Condé, viu notícias em massa sobre o coronavírus, e também observou que um dos problemas mais sérios nesta guerra contra a doença, era a falta de respiradores. Na Itália mesmo, por exemplo, pacientes ficavam de fora dos leitos por falta desse equipamento. Imagina, a pessoa vai para o hospital com caso mais grave, e tem que ficar na fila, que pode levar de 14 a 21 dias, que é o tempo para a pessoa se recuperar.

” Nossa empresa faz vários tipos de Máquinas voltada para a melhoramento da produção têxtil, automatizando setores como a estamparia a metro corrido, e também temos outros equipamentos para as soluções produtivas. Temos engenheiros na empresa, nossa robótica é bastante avançada, pois atuamos aqui na área de confecções e várias regiões, do Brasil.

O empresário e idealizador do projeto, Edson Condé

Quando desenvolvemos aqui o respirador, e vimos que tinha possibilidade de dar certo, que serviria para proteger nossos familiares, surgiu nova ideia; se houver apoio, poderemos fazer mais equipamentos para ajudar mais pessoas. Temos capacidade de produzir até 150 unidades até o pico da doença , número expressivo e de grande importância para nossos hospitais da região; atenuaria o pico. Porém temos que trabalhar o mais rápido possível, porque na crise não tenho como produzir, temos que antecipar, porque nada é do dia para noite.

O equipamento foi desenvolvido e continua sendo apresentado aos profissionais da área hospitalar, e precisamos de mais médicos, para que eles façam suas avaliações e deem sugestões. Hoje mesmo apresentamos o equipamento na Casa de Saúde, lá deram também sugestões, disseram o que era preciso melhorar neste ou naquele ponto. A nossa empresa é boa na parte de automação mas a medicinal, fica para os profissionais da área, que são especialistas. Pois não é coisa simples esta parte hospitalar, por isso procuramos apoio dos hospitais e das pessoas para aquisição de materiais que possam ser inseridos neste protótipo.

Com pode ver aqui, esta preparação foi solicitada hoje, no equipamento,e já estamos trabalhando para deixar o respirador com mais recursos para se adequar melhor no ambiente hospitalar”, disse o empresário que fez uma demonstração para nossa reportagem do aparelho funcionando, ou seja o projeto está avançando.

“Por isso, quanto mais médicos deste setor opinarem melhor. Esta parceria tem que ser composta de muitas pessoas, torcemos que nossa região não sofra com a doença, mas penso assim: “se você quer paz, tem que se preparar, para uma possível guerra, onde quem ganha é o mais preparado” diz o idealizador do projeto, Edson Condé.

Ver Mais Notícias


3 Comments

  1. Uma grande iniciativa, em momento de grave crise, que permitiria uma solução local para os problemas locais. Parabéns ao idealizador, Edson Condé, engenheiro e idealista. Que o poder público e a sociedade civil possam se engajar neste projeto o mais rápido possível, permitindo que nos antecipemos ao auge desta crise médico-sanitária, minimizando a mortalidade no nosso município.

  2. Parabéns ao Édson!
    Agora aguardamos o apoio das autoridades da cidade, cadê os nossos políticos que em campanha fazem questão de apertar nossas mãos e dizem que amam a nossa cidade. Demonstrem esse amor agora, se não pelo menos respeito, e apoiem, patrocinem abracem essa iniciativa por nós população.

  3. A iniciativa é muito boa, mas para atender aos requisitos da área médica é necessário muitos cuidados. Os países viram que não podem contar com a China e Índia para casos de calamidade e segurança nacional. É preciso desenvolver suas indústrias e tecnologias. Tomara que surja aqui uma empresa nacional de aparelhos médicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *