CARREGADO DE HISTÓRIA

Após ser adquirido, o veículo está com a mesma família há 45 anos

A bordo de um Mercedes Benz, uma máquina de 1956

Nem parece, mas tem 64 anos de rodagem
No volante há décadas, Alberto Alves (Beto Leiteiro)

Em 1985 a máquina foi destaque na Revista Cidades e Municípios
O dono está aí, o terceiro da direita para a esquerda

REPORTAGEM ESPECIAL – MURIAÉ-MG

Mais uma vez nossa reportagem tem a oportunidade de conhecer de perto algo que fez história em Muriaé. Desta vez estamos a bordo de um caminhão Mercedes Benz, Modelo LP-312, Ano 1956, e não é qualquer caminhão, este modelo foi o primeiro da Mercedes-Benz fabricado no Brasil, em São Bernardo do Campo-SP.

A máquina está há 45 anos com seu segundo proprietário, o Alberto Alves de Faria, muito conhecido na época como “Beto leiteiro”. Este veículo, uma relíquia, fazia no passado a linha de leite de São Fernando e de Boa Família para Muriaé. Na Cooperativa de Leite, na Av. Comendador Freitas, foi alvo de uma reportagem em 1985, ilustrou uma matéria da Cooperativa de Leite, na Revista Cidades e Municípios, conhecida na cidade e região.

“Está na família há 45 anos, meu pai criou toda família com esse caminhão. Depois que parou de puxar leite, ficou entregando ferragens para a empresa Ki-Ferro e após comprarmos outros caminhões decidimos restaurá-lo. Minha infância toda foi neste caminhão, enfrentando estradas intransitáveis com chuva, sol, calor, ou muito frio, mas todos os dias este caminhão tinha que fazer a linha de leite” disse o filho Delcídio Alves de Faria, uma nova geração que quer preservar a história do caminhão e logo atrás vem os netos Gustavo, Gabriel e Júlia, com idade de 10, 6 e 4 anos, respectivamente, que também demonstram o mesmo interesse.

A restauração feita no ano passado e foi o combustível para que muitos convites surgissem para participação em encontros de antigomobilistas, principalmente o Rio-Minas, administrado pelos muriaeenses, Gissa e Fábio.

Apenas uma volta à bordo deste MB 56, foi o suficiente para nossa reportagem fazer bons registros, bem como voltar ao passado.

O proprietário fala do veículo com emoção (veja o vídeo). Lembrando que Alberto Alves foi um importante comunicador do Esporte em Muriaé, pois comentava, narrava e fazia reportagens para as principais rádios da cidade.

No volante desta volta histórica, Delcídio Alves
Veículo agora cumpre agenda em encontros de antigomobilistas

VEJA MAIS FOTOS DO MB 1956… clique em “Leia Mais”.

Ver Mais Notícias


9 Comments

  1. Linda historia, parabéns ao site e ao proprietário, eu tb teria uma história assim com uma f75 que meu avô tirou zero e até pouco tempo estava no nome da minha mãe, mas por ingenuidade da minha mãe e esperteza de um primo picareta meu perdi essa parte da minha infância, mas Deus sabe oq faz e ele tem muito mais pra da do que um diabo pra roubar, eu teria vergonha de andar nela sabendo que conquistou de uma forma ilícita!!! VERGONHA!!! Mas meu avô esta nos braços de Deus vendo essa covardia!!!

  2. Não só fez parte da infância dos filhos, como todas as crianças da farmacêutico Álvares de Castro e da Rockfeller, já peguei muita rabada e o senhor Betão tbm marcava uns jogos de futebol para a meninada e carregava nós todos nele para os jogos, e por sinal tratava todos os meninos com muito respeito e carinho, obrigado Betão por ter feito parte da minha infância, parabéns ao Delcídio, pela iniciativa, e tbm aos outros dois filhos Bruno e Humberto, e a mãe deles e esposa do Betão, “Nene”!!!

  3. Brilhante reportagem por isso que não podemos esquecer da historia,pois sempre teremos nossa identidade preservada parabéns!

  4. Parabéns a família.
    Como não lembrar desse caminhão, eu me lembro descarregando leite na cooperativa. .
    Parabéns Silvan,pelas reportagens e os vídeos .

  5. Parabéns meu amigo Betão,esse caminhão fez parte da minha infância,eu era morador da rua Rockefeller,e o Betão juntava os meninos da rua ,formavamos um time,e ia jogar em São Fernando.encima desse caminhão.que época boa..Parabens Delcídio por manter viva essa relíquia,que fez parte de nossas vida.

Deixe uma resposta para Cesar Martins Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *