CORONAVÍRUS: Minas Gerais é o estado com menor taxa de óbito por 100 mil habitantes

Em coletiva virtual desta sexta-feira (31/7), o chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), João Pinho, informou que o estado apresenta a menor taxa de óbito pela covid-19 por 100 mil habitantes.

Até o momento, foram registrados 2.769 óbitos por covid-19 em Minas e a taxa de mortalidade no estado é de 12,7 por 100 mil habitantes, segundo o Ministério da Saúde. Nesse contexto, João Pinho destacou o rigor de critérios para testagem adotados pela SES-MG. “Nossos critérios são muito bem trabalhados e vale reforçar que todos os óbitos  suspeitos são testados”, disse.

Minas Gerais já vinha mantendo a posição de segunda menor taxa de mortalidade por covid-19 no país. Em coletiva do último dia 20/7, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, destacou uma propensão à estabilização de óbitos, considerando a data de ocorrência.

Ações: O primeiro caso da covid-19 em Minas Gerais foi confirmado em 8 de março. Mas, desde o início do ano, o Governo de Minas vem atuando preventivamente no enfrentamento à pandemia. Em janeiro, foi criado o Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes-Minas) para monitoramento e estudo dos casos e para atuação na tomada de decisões, organizando, assim, as ações de enfrentamento. No mês seguinte, em 27 de fevereiro, a SES-MG apresentou o Plano de Contingência para Emergência em Saúde Pública Covid-19.

Em abril, com o objetivo de garantir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de Saúde que trabalham na linha frente contra a covid-19 no estado, foi lançado o programa Protege Minas. No mesmo mês também teve início o plano Minas Consciente, para orientar prefeitos na retomada segura das atividades econômicas, a partir de critérios técnicos e epidemiológicos.

Com relação à qualificação da rede de saúde pública de Minas Gerais, de fevereiro a julho deste ano, foram abertos 1.655 leitos de UTI em todo o estado. Além disso, o governo adquiriu 1.047 respiradores para auxiliar os municípios no enfrentamento da pandemia. Outros 343 equipamentos foram enviados ao estado pelo Ministério da Saúde, sendo 174 para uso em UTI’s, e 169 ventiladores de transporte, utilizados em ambulâncias.

Todos os 1.390 respiradores que chegaram a Minas durante a pandemia farão parte do legado do Estado para a Rede Pública de Saúde. “Chegar a este momento de platô, que tudo indica ser o ápice da doença em Minas Gerais, com essa taxa de mortalidade e com números bem abaixo dos registrados em outros estados, mostra-nos que o trabalho realizado até aqui no enfrentamento à epidemia está no caminho adequado”, disse o chefe de Gabinete da SES-MG, João Pinho.

Ver Mais Notícias


6 Comments

  1. Mas muriae está fora dessa estatísticas pq aqui tem 110 mil abitantes e já tem quase 80 mortes , se for olhar Muriaé tá quase pior do que o estado do Ceará que tema média de 83 a cada 100 mil abitantes , será que o comitê gestor do covid19 está por dentro dessa estatística ?

  2. Isso mostra que Muriaé vive uma situação dramática, nosso gestor é o pior de todos, sua atuação esta igual a municípios mais pobres do nordeste e só comparar temos aproximadamente 2000 casos e 70 óbitos dividindo o gráfico, veja, nos estamos com 70 mortes por cem mil habitantes que dizer no mesmo patamar que municípios pobres de pernambuco e ele só pensa em nata de asfalto.

Deixe uma resposta para Sergio Orondino da pastoral do trânsito Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *