Redutor de velocidade na “Curva da Pratinha”: trabalho começou com a implantação das placas

Trecho da rodovia federal BR-356 é palco de constantes acidentes

Nossa reportagem foi até a região da Pratinha, na BR-356, entre os municípios de Eugenópolis e Muriaé, para acompanhar os primeiros trabalhos de implantação de um redutor de velocidade no trecho conhecido como “Curva tombadeira da Pratinha”.

Na manhã desta segunda-feira, uma empresa contratada da do DNIT sede Leopoldina, fazia a instalação das placas, são várias, que ficarão no trecho por alguns dias, advertindo o usuário da rodovia, que ali vai ser implantado um redutor de velocidade (quebra-molas).

O chefe da Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, de Leopoldina, Joel Guedes acompanhou de perto o trabalho nesta rodovia que liga Muriaé ao estado do Rio de Janeiro e há muitos anos vem sendo palco de acidentes constantes, resultando em mortes, feridos e muitos danos materiais. Os acidentes, na sua grande maioria, ocorrem com veículos pesados que trafegam no sentido a Muriaé.

“Este trabalho traz muita alegria em poder ser executado. Foi pleiteado por várias pessoas, por políticos da região, mas só tornou possível graças a um estudo feito pela Polícia Rodoviária Federal, que fez um levantamento dos acidentes ocorridos no local, e com base neste estudo técnico, o DNIT pode dar início a aprovação para implantação do redutor de velocidade no local.

Diante da escassez de verba, foi procurado parceria na região e fomos atendidos prontamente pela Prefeitura de Eugenópolis (que confeccionou as placas) e a Prefeitura de Muriaé (que vai auxiliar com a tinta, micro esfera reflexivas, fundamentais na implantação do redutor de velocidade). Tivemos ainda a ajuda do Poder Legislativo da região” disse o chefe da PRF na região.

Ver Mais Notícias


9 Comments

  1. E quando irão pintar as faixas da pista? Transitar a noite está tão perigoso quanto a curva.
    Pra começar, essa rodovia foi recapeada no governo Dilma, uma obra desnecessária, sendo que antes tinha sinalização.
    Fica até difícil a PRF multar por ultrapassar em faixa continua, pois as faixas já não existem.
    Cadê os DEPUTADOS FEDERAIS do município?

  2. Se todos os condutores respeitassem as sinalizações de advertência e de regulamentação existentes, como existem nesse trecho, não seria necessário quebra-molas, muito menos de radares fixos. Neste local a velocidade regulamentar era de 40 km/h, assim como na curva do km 276, antes da ponte do Muratori. E a 40 km/h nenhum veiculo tombaria.

  3. Realmente é um discurso meio politico para favorecer prefeitos e vereador neste período eleitoral, tenho 51 anos e a mais de 25 anos sou militante da conscientização no trânsito e esta curva mata desde aquela época, então soa meio estranho este discurso. pra ser mais claro, porque não fez a quatro anos atrás muitas vidas poderia ser poupadas.

    1. KKKKKKKKKKKKK
      O cara que defende o trânsito reclamando de uma maneira, mesmo que paliativa, de diminuir os acidentes. Para com esse discurso furado! Esse quebra molas vai diminuir ou acabar com os acidentes no local! O ideal seria uma radar para que o condutor não precise diminuir tanto a velocidade ao ponto de quase parar, mas enquanto esse não vem, a lombada ajuda muito. Vejo muito discurso aqui e reclamação de gente que quer aparecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *