“Agora sou funcionário do município” disse o motorista da saúde, vereador mais votado

Com 1.851 votos, o motorista da Secretaria de Saúde de Muriaé, Afonso da Saúde, é o vereador eleito mais votado do município, disputou na chapa do PTB (14). Nossa reportagem esteve com o vereador eleito que será também o novo presidente da Câmara Municipal de Muriaé, conforme regime atual da casa.

O motorista Afonso já trabalha normalmente em seu setor de transporte de pacientes, pra dentro de Muriaé ou para outras várias cidades, como Juiz de Fora e até mesmo do estado de São Paulo. Veja o vídeo a entrevista com o vereador eleito mais votado do município de Muriaé nas Eleições 2020.

Ver Mais Notícias


34 Comments

  1. Pessoal de Muriaé é bem bobo mesmo o cara é motorista e colocou nome de Afonso da Saúde, tá na cara que isso vai render muito ainda, anote bem isso que estou falando hoje, daqui a 4 anos vocês lembrem desse post, as duas entrevistas dele até agora não vi confiança e nada de certeza que sabe algo. Lamentável usar o nome da saúde, achei que fosse médico ou algo do tipo.

  2. Lamentável o julgamento, sendo motorista ou médico, não podemos julga-lo, tantas pessoas que passaram pela camara municipal e deixou a desejar. Referente a ” camara municipal é diferente de dirigir ambulância”, dá no mesmo que “camara municipal é diferente de fazer cirurgia”. O cara conquistou os votos, espera os 4 anos de trabalho, se der certo parabéns pra ele se der errado, a população tenta não errar novamente.

    1. Belas palavras tem muitos que passou pela Câmara de vereadores que são estudados entende de lei e não fez nada de bom isso parece mais pessoas que não tem capacidade de ter a quantidade de votos que ele teve e fica aí julgando independente qual seja a profissão dele ele pode fazer um bom trabalho e pode ajudar mais pessoas do que ele ajudar deixam de hipocrisia.

  3. “A política de desenvolvimento urbano estabelecida pelo Município no PLANO DIRETOR, que não tiver como prioridade atender as necessidades essenciais da POPULAÇÃO MARGINALIZADA E EXCLUÍDA DAS CIDADES, estará em pleno conflito com as normas constitucionais norteadoras da política urbana, com o sistema internacional de proteção dos direitos humanos, em especial com o princípio internacional do desenvolvimento sustentável.” (p. 45)
    FONTE: ESTATUTO DA CIDADE: guia para implementação pelos municípios e cidadãos. Câmara dos Deputados, 2001. Disponível em:
    https://drive.google.com/file/d/13ok4Rr1blToQppxO8zWqrgTynoJLSv7X/view?usp=sharing

  4. LEI Nº 12.527/2011
    LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO – LAI
    Art. 8º É dever dos órgãos e entidades públicas promover, independentemente de requerimentos, A DIVULGAÇÃO EM LOCAL DE FÁCIL ACESSO, no âmbito de suas competências, de informações de interesse coletivo ou geral por eles produzidas ou custodiadas.
    § 1º Na divulgação das informações a que se refere o caput, deverão constar, no mínimo:
    I – registro das competências e estrutura organizacional, endereços e telefones das respectivas unidades e horários de atendimento ao público;
    II – registros de quaisquer repasses ou transferências de recursos financeiros;
    III – registros das despesas;
    IV – informações concernentes a procedimentos licitatórios, inclusive os respectivos editais e resultados, bem como a todos os contratos celebrados;
    V – dados gerais para o acompanhamento de programas, ações, projetos e obras de órgãos e entidades; e
    VI – respostas a perguntas mais frequentes da sociedade.
    § 2º Para cumprimento do disposto no caput, os órgãos e entidades públicas deverão utilizar todos os meios e instrumentos legítimos de que dispuserem, sendo OBRIGATÓRIA A DIVULGAÇÃO EM SÍTIOS OFICIAIS DA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES (INTERNET).
    LEIA MAIS
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm

  5. LEI COMPLEMENTAR Nº 101/2000
    LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL – LRF
    Art. 48. São instrumentos de transparência da gestão fiscal, aos quais será dada AMPLA DIVULGAÇÃO, inclusive em meios eletrônicos de acesso público: os planos, orçamentos e leis de diretrizes orçamentárias; as prestações de contas e o respectivo parecer prévio; o Relatório Resumido da Execução Orçamentária e o Relatório de Gestão Fiscal; e as versões simplificadas desses documentos.
    Art. 49. As contas apresentadas pelo Chefe do Poder Executivo ficarão disponíveis, durante todo o exercício, no respectivo Poder Legislativo e no órgão técnico responsável pela sua elaboração, para CONSULTA E APRECIAÇÃO PELOS CIDADÃOS E INSTITUIÇÕES DA SOCIEDADE.
    LEIA MAIS
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp101.htm

  6. Se trabalha na Secretaria de Saúde de Muriaé, sendo contratado ou efetivo, SEMPRE FOI funcionário do município! Cuidado com as falas atravessadas! Se vai presidir a Câmara Municipal tem que tomar mais cuidado com as palavras!

  7. LEI Nº 10.257/2001
    ESTATUTO DA CIDADE
    Art. 2o A política urbana tem por objetivo ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e da propriedade urbana, mediante as seguintes diretrizes gerais:
    (…)
    II – gestão democrática por meio da PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO e de associações representativas dos vários segmentos da comunidade na formulação, execução e acompanhamento de planos, programas e projetos de desenvolvimento urbano;
    Art. 4º
    § 3o Os instrumentos previstos neste artigo que demandam dispêndio de recursos por parte do Poder Público municipal devem ser objeto de controle social, garantida a participação de comunidades, movimentos e entidades da sociedade civil.
    Art. 39. A propriedade urbana cumpre sua função social quando atende às exigências fundamentais de ordenação da cidade expressas no plano diretor, assegurando o atendimento das necessidades dos cidadãos quanto à qualidade de vida, à justiça social e ao desenvolvimento das atividades econômicas, respeitadas as diretrizes previstas no art. 2o desta Lei.
    Art. 40. O PLANO DIRETOR, aprovado por lei municipal, é o INSTRUMENTO BÁSICO da política de desenvolvimento e expansão urbana.
    § 1o O PLANO DIRETOR é parte integrante do processo de planejamento municipal, devendo o plano plurianual, as diretrizes orçamentárias e o orçamento anual incorporar as diretrizes e as PRIORIDADES NELE CONTIDAS.
    § 2o O plano diretor deverá englobar o território do Município como um todo.
    § 3o A lei que instituir o plano diretor deverá ser revista, pelo menos, a cada dez anos.
    § 4o No processo de elaboração do PLANO DIRETOR e na fiscalização de sua implementação, os Poderes Legislativo e Executivo municipais garantirão:
    I – a promoção de audiências públicas e debates com a participação da população e de associações representativas dos vários segmentos da comunidade;
    II – A PUBLICIDADE QUANTO AOS DOCUMENTOS E INFORMAÇÕES PRODUZIDOS;
    III – O ACESSO DE QUALQUER INTERESSADO AOS DOCUMENTOS E INFORMAÇÕES PRODUZIDOS.
    LEIA MAIS
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10257.htm

  8. Os candidatos eleitos e os políticos devem está lisonjeados com os eleitores q os colocaram lá.
    Eles sabem com quem lidam. É por isso, q vivemos nessa ciranda progressiva/ regressiva sem fim.
    E a cultura desejável de todo político!!!

  9. LEI ORGÂNICA DE MURIAÉ
    Art. 175 – Nos termos desta lei, o Plano Diretor é o instrumento básico da Política de Desenvolvimento do Município.
    § 1o – O Plano Diretor deverá conter:
    I – exposição circunstanciada das condições econômicas, financeiras, sociais, culturais e administrativas do Município;
    II – objetivos estratégicos, fixados com vista à solução dos principais entraves ao desenvolvimento social;
    III – diretrizes econômicas, financeiras, administrativas, sociais, de uso e ocupação do solo, de preservação do patrimônio ambiental e cultural;
    IV – ordem e prioridade, abrangendo objetivos e diretrizes;
    V – estimativa preliminar do montante de investimentos e dotações financeiras necessárias à implantação das diretrizes e consecução dos objetivos do Plano Diretor, segundo a ordem de prioridades estabelecidas.
    § 2o – Os orçamentos, as diretrizes orçamentárias e o plano plurianual serão compatibilizados com as prioridades e metas estabelecidas no Plano Diretor.
    Art. 176 – Os serviços de utilidades pública, principalmente os de infraestrutura, transporte e saneamento básico, mesmo de abrangência supra-municipal, deverão estar em consonância com o Plano Diretor.

  10. Realmente os eleitores não sabe escolher, Afonso além de não mostrar segurança nenhuma em suas palavras, parece que não sabe o que faz um vereador, o jeito será da cestas básicas durante estes 4 anos.

  11. Não você não é funcionário do município você é funcionário do povo e estará na câmara para defender o povo e fiscalizar os atos da prefeitura.

  12. Mais importante que criticar nesse momento, como fizeram em alguns comentários, é torcer para que o futuro da nossa cidade seja um sucesso.
    Não importa a profissão e sim a vontade de fazer diferença. E é isso que espero e que acredito que o Afonso é capaz.

  13. POR QUE Muriaé não elege o Presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal como acontece nos demais municípios e a exemplo do Senado e da Câmara dos Deputados?
    LEI ORGÂNICA DE BH
    Art. 72 No primeiro ano de cada legislatura, cuja duração coincide com o mandato dos Vereadores, a Câmara reunir-se-á no dia primeiro de janeiro para dar posse aos Vereadores, ao Prefeito e ao Vice-Prefeito e eleger a sua Mesa Diretora…

  14. Os NOVOS vereadores eleitos estão de acordo com as METAS e PRIORIDADES definidas na LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS – LDO 2021 – Lei Municipal nº 6.002/2020, disponível em:
    https://sapl.muriae.mg.leg.br/media/sapl/public/normajuridica/2020/6336/lei_6.002__anexos.pdf

    LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS – LDO
    A LDO é o elo entre o Plano Plurianual – PPA e a Lei Orçamentária Anual – LOA, que é o instrumento que viabiliza a execução dos programas governamentais.
    Uma das principais funções da LDO compreende selecionar dentre os programas e metas incluídos no PPA, aqueles que terão prioridade na execução do orçamento, conforme determina o parágrafo 2º do artigo 165 da Constituição Federal.

    De acordo com a Lei n° 10.257/2001, denominada ESTATUTO DA CIDADE, o Plano Plurianual – PPA deve ser elaborado com base no PLANO DIRETOR.
    O PLANO DIRETOR DE MURIAÉ – Lei Municipal nº 5.915/2019 – foi aprovado em novembro de 2019 e deverá definir o futuro de nosso município para os próximos DEZ ANOS.
    O PLANO DIRETOR DE MURIAÉ 2018-2028 está disponível em:
    https://sapl.muriae.mg.leg.br/media/sapl/public/normajuridica/2019/6202/plano_diretor_participativo.pdf

  15. As cidades devem ser administradas com base num PLANO DIRETOR que priorize as CLASSES MARGINALIZADAS e seja elaborado, executado e fiscalizado com ampla PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO e de associações representativas dos vários segmentos da comunidade (Associações de Moradores de Bairro, Conselhos Municipais, Partidos Políticos, OAB, CREA, CAU, CDL, ACE, Sindicatos etc.), conforme determina a Lei nº 10.257/2001, denominada ESTATUTO DA CIDADE.
    LEIA MAIS
    https://drive.google.com/file/d/1McgK3LHu5an85E2lWzZtS3QwZ9FCdUAv/view?usp=sharing

  16. De acordo com a Cartilha “OS VEREADORES NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE PLANOS DIRETORES PARTICIPATIVOS”, OS “planos diretores que têm apenas diretrizes não permitem sua aplicação, é uma carta de intenções que não vai gerar efeitos imediatos! É uma lei inócua, que logo se desmoraliza por não mudar nada na cidade.”
    Este é o caso de MURIAÉ e de todos os municípios brasileiros, portanto, a primeira providência dos futuros governantes – prefeitos e vereadores – deveria ser revisar o PLANO DIRETOR da cidade!
    “O Plano Diretor deve ser discutido e aprovado pela Câmara de Vereadores e sancionado pelo prefeito de cada município. O resultado, formalizado como Lei Municipal, é a expressão do pacto firmado entre a sociedade e os poderes Executivo e Legislativo.” (MINISTÉRIO DAS CIDADES, atual Ministério do Desenvolvimento Regional).
    LEIA MAIS
    https://drive.google.com/file/d/1VnM_sSBQrqTUzXMkTNJ0f8UqQhPPC4WZ/view?usp=sharing

  17. Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.

    Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se opondo contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos romanos 13. 1.2.

  18. “VEREADOR NÃO É ‘PREFEITINHO’ DE BAIRRO”
    (…)
    “Muitos vereadores dizem que são suas as obras executadas pela prefeitura. O “nobre edil” visa passar para o seu eleitorado a ideia de que ele é o grande responsável pelas melhorias em sua região. Ou seja, se posiciona como um “prefeitinho” de bairro. E o que faz a prefeitura diante de tal postura? De certa forma acaba aprovando, pois precisa do apoio de seus “prefeitinhos” na câmara.
    (…)
    Com o tempo, as atribuições do vereador foram se desviando e ele passou a exercer funções de um “despachante de luxo”. Em muitos casos, explorando a situação de penúria de seus eleitores. E para garantir o voto fácil presta os mais diversos favores, enfim, uma troca interesseira.
    Além de “despachante de luxo”, em certos municípios o vereador se presta ao papel de “office-boy” do prefeito.”
    Extraído do texto de João Júlio da Silva – disponível em:
    http://www.jornaldaregiaoonline.com.br/colunistas/joao-julio-da-silva/824/vereador-nao-e-prefeitinho-de-bairro

  19. PESSOAL QUE TA JULGANDO POR SER UM MOTORISTA DE AMBULANCIA , VAI A DICA NO BRASIL QUANTO MAIS LETRADO QUANTO MAIS FACULDADES QUANTO MAIS CULTO. ESSES SAO OS MAIORES LADROES DOS COFRES PUBLICOS QUE TIRA PROVEITOS DE SUAS FORMACOES PARA LEZAR OS COFRES DO PAIS. PARABENS AFONSO VC E 10 NA SUA HUMILDADE AJUDA AS PESSOAS MESMO SENDO UM MOTORISTA DE AMBULANCIA . PARABENS VC EU CONHECO E SEI CARATER.

  20. O POVINHO GOSTA DOS LETRADOS E FORMADOS POLITICOS DO BRASIL E BOUBA E LEZA OS COFRES PUBLICOS E NAO E PRESO NEM DEVOLVE OQUE ROUBOU. PARABENS AFONSO. O CHORO E LIVRE O BAMBU TA GEMENDO.

  21. E Afonso pelo jeito tem um monte de invejosos torcendo por você, Que bom! essas devem ser as viúvas de outros vereadores. Cuidado viúvas pra não morrerem de inveja!!!
    Afonso neles! Toma que é de graça!!!

  22. Não! Você não é funcionário do município! Você é vereador, fiscalizador das ações do Prefeito e das ações municipais! Seu mandato tem início e fim de acordo com seu decoro parlamentar. Mandato tem tempo de cumprimento! Funcionário é um termo vindo da iniciativa privada de função! Servidor público é concursado, muitas vezes confundindo com Servidor Comissionado que entre e sai pela desejo do Prefeito e Vereador.

  23. Pessoal falando aí da simplicidade do Afonso. Não o conheço pessoalmente más quero contrapor esse argumento nojento desse povo: Foram vereadores graduados que apoiaram o prefeito a endividar a cidade, a aumentar o valor venal dos imóveis aumentando assim o IPTU, que apoiaram o prefeito nesse rotativo que estorque o cidadão, que não fiscalizaram essa enxurrada de obras em cima da eleição. Ou seja, prefiro gente simples más que defende o povo do que esses diplomados que agiam em consonância com o executivo sem questionar suas ações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *