Procon faz fiscalização em supermercados

O Procon de Muriaé iniciou nesta quarta-feira (12) uma vistoria nos supermercados da cidade para verificar o valor da cesta básica nos estabelecimentos. A averiguação foi solicitada pela Câmara de Vereadores, que recebeu muitas reclamações de preços abusivos e decidiu criar uma sindicância através da Comissão dos Direitos do Consumidor.

A unidade de Muriaé de fiscalização do Código de Defesa do Consumidor deverá permanecer neste tipo de serviço até terminar a visita a todos os estabelecimentos. Durante as diligências, serão solicitadas as notas fiscais de compra e venda dos itens pesquisados durante o 2º semestre de 2020, bem como dos três últimos recebimentos, objetivando fiscalizar a cobrança de preços excessivos e injustificados dos produtos. Os principais produtos questionados são o arroz, feijão, açúcar, café e óleo.

De acordo com o diretor do Procon, Cristiano de Assis, durante os próximos dias, com a ajuda da Polícia Militar, a fiscalização será realizada nos supermercados do município. “Faremos um levantamento dos preços nas prateleiras e o valor que foi comprado pelo estabelecimento. Em seguida, vamos comparar com os preços praticados em 2020. Nosso objetivo e averiguar se não está tendo repasse abusivo para o consumidor”, disse.

Os vereadores Miriam Facchini, Christian Tanus Bahia e Evandro Cheroso, titulares da Comissão dos Direitos do Consumidor, acompanharam as primeiras inspeções para registrar os levantamentos. “Recebemos vários questionamentos da população dizendo que cada vez que vão aos mercados encontram preços mais altos. Não estão conseguindo comprar as cestas básicas dentro do padrão de que antes consumiam. Precisaram tirar alguns produtos. A base disto tudo, é o alto índice de desemprego e a renda inexistente que as famílias passaram a ter neste período de pandemia. Nós pretendemos, com está reivindicação, alcançar resultados positivos para as pessoas mais carentes”, disse a legisladora.

Ao final da operação, o Procon fará planilhas de base de custos e deverá elaborar um relatório técnico. Os resultados serão encaminhados a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Muriaé e Ministério Público para as possíveis providências.

Ver Mais Notícias


11 Comments

  1. Que palhaçada em? O mercado se regula… Se você vai a um comércio e está caro, você tem todo o direito de não comprar e ir em outro comércio para fazer sua compra. É muita intromissão do estado… Cada um pratica o preço que quiser. Porque não fiscalizam situação de cartel? Já pensaram em verificar postos de combustíveis?

      1. Não cabe ao estado regular preço. Não sou patrão, mas não concordo com atuação do estado dessa forma. O cidadão tem todo o direito de comprar em outro lugar e também ter a inteligência de boicotar quem está praticando preço alto. O estado deveria se preocupar em fiscalizar cartel econômico e não o livre mercado.

  2. Procon e a Polícia poderiam dar uma volta nos postos de gasolina novamente. A última notícia que vi de reajuste de preços foi de redução da petrobrás e a gasolina não para de subir. Chegamos a 6,09 já. Absurdo.

  3. Parabéns o Procon deveria voltar ser mais ativo e eficiente como sempre foi
    Realmente muriae precisa de fiscalizações para evitar de se firmar um cartel pois em muriaé tudo é muito caro

  4. ABSURDO PALHAÇADA IDIOTICE SEI LA ATE ME FALTAM PALAVRAS PRECISA DA POLICIA MILITAR PARA FISCALIZAR OS ESTABELECIMENTOS? O QUE O PROCON PENSA? ACHA QUE VAI ENCONTRAR BANDIDOS PENSA QUE O COMERCIO TA ROUBANDO ? SAIBA QUE ALI EXISTEM CHEFES DE FAMILIA QUE ESTÃO TRABALHANDO QUE CADA MERCADO COLOQUE O SEU PREÇO E QUE O CONSUMIDOR ESCOHA AQUELE QUE ESTIVER MAIS BARATO NINGUEM OBRIGA NINGUEM A COMPRAR NESTE OU NAQUELE MERCADO. OCUPAR 2 POLICIAS QUE PODERIAM ESTAR DEFENDENDO A SOCIEDADE DE OUTRAS CRIMINALIDADES. E MUITO FALTA DO QUE FAZER. MUITO CACIQUE PRA POUCO INDIO

  5. Uai gente. Solução simples. Pessoal hipossuficiente , carente pode receber cestas básicas dos vereadores . Reduzam seus salários , beneficiando desta forma quem os colocaram aí . Lei da livre concorrência e livre inciativa. Oferta e procura. Menos estado , mais fomento no setor econômico.

  6. Até hoje não sei pra que serve procon Anatel anel denit detran banco central nunca vi um deste departamento fazer alguma coisa pro povo gasolina comida absurdo água luz um roubo telefone come crédito asfalto crítico bancos mete a mão e pior temos que pagar

    1. cabide de emprego. para sufocar o orçamento do estado que cada vez mais, serve apenas para pagar folha de pagamento do funcionalismo público, que muito recebe e mto pouco produz para sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *