O FENÔMENO DAS TEIAS DE ARANHA NA JK

Nossa reportagem foi acionada durante esta semana para fazer o registro de um fenômeno que está ocorrendo na Av. JK, às margens do Rio Muriaé, em toda a área central.

No local registramos em um longo trecho, a formação de teias de aranha densas e com capacidade de segurar peso, envolvendo árvores de várias espécies, postes de energia elétrica e suas lâmpadas e ainda a grade de proteção. Constatamos também que não há presença das aranhas de dia, elas devem tecer as teias à noite.

O fenômeno das aranhas, até então não havia ocorrido com tanta intensidade, vem chamando a atenção e por isso já entramos em contato com biólogos para saber mais sobre, e em breve uma nova reportagem.

VEJA O DEPOIMENTO DO BIÓLOGO CLÉLIO LIMA JR.: “As aranhas são animais que durante a noite trocam suas teias, descartam a que usaram naquele dia, e fazem uma nova. As teias nada mais são que armadilhas para capturar seus alimentos, geralmente insetos. Mas algumas chegam a capturar até beija-flores ou mesmo outras aranhas.

Nesta época de estiagem é comum ver este monte de teias, pois a teia é uma proteína que a aranha “fabrica” com a glândula fiandeira, ou glândula de teia se preferir. Como não chove, as teias vão se acumulando, se juntando, pois precisam de água para serem dissolvidas. Por isso, a maior parte dessas teias aglomeradas, são aquelas que a aranha descartou antes de fazer a nova, isso dá mesmo a impressão de estarem tomando toda a planta ou estrutura onde estão, pois ali estão as teias novas e as velhas.

Algumas espécies de aranhas usam a teia também como meio de locomoção. Quando aranhas botam ovos, colocam todos juntos numa bolsinha, chamada de “ooteca” e quando os ovos eclodem, “chocam”, os filhotes lançam uma teia comprida que levada pelo vento, também transportam a aranhazinha para onde ele for, podendo por vezes chegar muito, muito distante.

Não sei de qual espécie são essas aí que você registrou Silvan, mas na passarela de travessia do rio no fim da JK eu vi há cerca de quatro anos, uma situação assim e eram aranhas do gênero “nephila”, comuns na área urbana e também vistas em beira de casas e currais em áreas rurais. São aranhas inofensivas, não atacam.

Essas da JK estão na beira do rio, onde tem abundância de alimento, inclusive de pernilongo, ou prezas às luzes dos postes, que atraem uma miríade de outros insetos, por isso se reproduzem em maior quantidade. É também um indício que não há predadores o suficiente, possivelmente são animais não naturais desta região”.

Ver Mais Notícias


8 Comments

  1. Eu sempre passo de manha naquela av. e observo tamanha quantidade de teias de aranhas entre árvores e grades, elas é longas e fortes porém as aranhas ficam escondidas devido aos passaros predadores.

    1. Isso se chama natureza, meu amigo Valadares. As aranhas já têm seus predadores, assim como os demais atores que formam a grande cadeia. As árvores não florescem alí, mas florescem em outros locais, assim como aranhas sobrevivem alí, mas não sobrevivem em outras áreas. Acalme seu coração e admire… Isso acontece a milhares de anos e tivemos a oportunidade de observar agora.

  2. Essas aranhas não vieram de Marte ou da Lua. Estão alí devido à disponibilidade de alimento, que são insetos, tais quais os mosquitos e pernilongos que habitam a região. Muriaé, vem de miruim, muriçoca, que em língua indígena quer dizer mosquitos. Enfim, nosso rio é o “rio dos mosquitos”. Na região da Avenida JK temos alta emissão de esgoto. Galerias que lançam na região toda carga do esgoto captado nas imediações. Esse material atrai insetos em grande número e o alimento das nossas aranhas são insetos que estão alí, principalmente, para se alimentarem, se abrigarem e reproduzirem. As teias são armadilhas que os aracnídeos fazem para captura e envelopamento dos insetos, que são estocados e armazenados no local. Deixem as aranhas em paz; estão cumprindo o seu trabalho, reduzindo a população dos mosquitos e, consequentemente, das doenças por eles transmitidas.

  3. Fenômeno da natureza? Não a culpem pelo DISMAZELO da prefeitura em manter a cidade suja, principalmente essa JK.
    As grades de proteção estão uma vergonha. É falta de atitude do setor responsável em zelar por isso. Funcionários de serviços gerais para executar uma tarefa tão fácil dessa, não falta.
    O q falta nessa administração é o PADRÃO GREGO de trabalho!!!

Deixe uma resposta para Azevedo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *