Caminhada de Muriaé a Barão: na Rota das Vilas

REPORTAGEM ESPECIAL. A caminhada rumo a Barão do Monte Alto, pela “Rota das Vilas”, que teve como objetivo conhecer as belezas naturais e a história daquele município (terra de Barão) começou às 5 horas na companhia do atleta Albino Corredor e da advogada e gerente administrativa, Marli de Paula. Foram 26,2 Km percorridos em 6h22. São características interessantes desta estrada de chão, os poucos morros (o maior é logo na saída de Muriaé) e o fato de um trecho de apenas 15 Km pertencer a três municípios: Muriaé, Patrocínio do Muriaé e Barão do Monte Alto. Um passeio com direito a um colorido e belo Nascer do Sol

Chama a atenção as tradicionais vilas, passamos pelas comunidades de Gameleira, Santa Rosa, Vila Marciana, Casa de Tábua, Vila Ulisses, Vila Vardiero e ainda pelos acessos de comunidades conhecidas como a Anastácia, a fábrica de tijolos CESAG, Sapeca, Reduto e dos distritos Cachoeira Alegre e Silveira Carvalho.

Igreja da comunidade da Gameleira

Vimos os robustos e tradicionais pontos de ônibus da época da Viação Nossa Senhora Aparecida.

Na Vila Vardiero, parada para fotos no pequeno Cristo Redentor; o cafezinho quente com pastelzinho de queijo preparado pelo Paulinho (Bar do Paulinho), muito receptivo e claro, não deixamos de conhecer a Venda do Romildo (secos e molhados); e a linda e estilosa Igreja Nossa Senhora de Lourdes. Estávamos na terra de italianos e que no passado foi também a terra do arroz. Aqui é comemorada a Festa do Arroz e do Carro de Bois.

Igreja Nossa Senhora de Lourdes, Vila Vardiero

No entroncamento da Rodovia que liga BR-116 (Bom Jesus da Cachoeira-Barão -Patrocínio) à BR-356 (chão até Barão), conhecemos a famosa “gurita”, que seria a “Fazenda Guarita”. Ali na ponte sempre tem pescadores, uma tradição.

Seguindo pela estrada baixa e bem reta, sentido a Barão, uma placa oficial de Rodovia marcando Km 18; chalés e entradas para comunidades e fazendas. Logo a frente, as ruínas da Fazenda Morro Alto (hoje Fazenda Califórnia) que pertencia ao Barão do Monte Alto.

Na chegada da cidade, sob o sol quente, o visual das palmeiras imperiais dando boas vindas e um oratório com Crucifixo e imagens de N.S. Aparecida e Santa Dulce dos Pobres.

No Centro, um patrimônio histórico do final do Século XIX (preservado pela Prefeitura Municipal e que terá nova reforma), conta a história de um povo e da economia do auge do café e do arroz: a Estação de “Morro Alto” concluída em 1885. Ela atraiu para suas proximidades, pessoas de maior poder aquisitivo, antes moradores do que é hoje a Vila do Arraial Velho. Dai formou-se um povoado com a construção de casas de comércio e depois as primeiras moradias. “A estrada de ferro foi fechada de vez em 22/01/1979, mas os trens de viagem deixaram de trafegar desde 1976” conta o historiador, professor e Bacharel em Direito, Silvério Soares de Azevedo.

Ig. Nossa Senhora Imaculada Conceição – Padroeira de Barão

Agradecimento ao prefeito Fabinho, ao vice Feliciano, ao historiador Silvério, ao morador ausente, Major PM Júlio Vilela e seus parceiros e amigos que vem trabalhando para alavancar o turismo em Barão do Monte Alto. Há projetos sendo elaborados.

VEJA NOSSA GALERIA DE FOTOS DA CAMINHADA… Clique em “Leia Mais”.

Ver Mais Notícias


7 Comments

  1. Parabéns Silvan Alves por mais essa bela reportagem percorrendo os distritos e a zonas rurais aqui da nossa região. Você é o único veículo de comunicação da nossa região que faz reportagens especiais. Nenhum outro site nunca fez essas reportagens especiais que você vem fazendo. Você está de parabéns!. Muitos distritos e áreas rurais ainda preservam muita beleza, história e precisa ser divulgada, apresentada pois muitos ainda não conhecem ou nunca passaram por essas redondezas, por esses trajetos. Parabéns, Silvan!. Que continue assim!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *