Caminhada de Muriaé a Barão: na Rota das Vilas

REPORTAGEM ESPECIAL. A caminhada rumo a Barão do Monte Alto, pela “Rota das Vilas”, que teve como objetivo conhecer as belezas naturais e a história daquele município (terra de Barão) começou às 5 horas na companhia do atleta Albino Corredor e da advogada e gerente administrativa, Marli de Paula. Foram 26,2 Km percorridos em 6h22. São características interessantes desta estrada de chão, os poucos morros (o maior é logo na saída de Muriaé) e o fato de um trecho de apenas 15 Km pertencer a três municípios: Muriaé, Patrocínio do Muriaé e Barão do Monte Alto. Um passeio com direito a um colorido e belo Nascer do Sol

Chama a atenção as tradicionais vilas, passamos pelas comunidades de Gameleira, Santa Rosa, Vila Marciana, Casa de Tábua, Vila Ulisses, Vila Vardiero e ainda pelos acessos de comunidades conhecidas como a Anastácia, a fábrica de tijolos CESAG, Sapeca, Reduto e dos distritos Cachoeira Alegre e Silveira Carvalho.

Igreja da comunidade da Gameleira

Vimos os robustos e tradicionais pontos de ônibus da época da Viação Nossa Senhora Aparecida.

Na Vila Vardiero, parada para fotos no pequeno Cristo Redentor; o cafezinho quente com pastelzinho de queijo preparado pelo Paulinho (Bar do Paulinho), muito receptivo e claro, não deixamos de conhecer a Venda do Romildo (secos e molhados); e a linda e estilosa Igreja Nossa Senhora de Lourdes. Estávamos na terra de italianos e que no passado foi também a terra do arroz. Aqui é comemorada a Festa do Arroz e do Carro de Bois.

Igreja Nossa Senhora de Lourdes, Vila Vardiero

No entroncamento da Rodovia que liga BR-116 (Bom Jesus da Cachoeira-Barão -Patrocínio) à BR-356 (chão até Barão), conhecemos a famosa “gurita”, que seria a “Fazenda Guarita”. Ali na ponte sempre tem pescadores, uma tradição.

Seguindo pela estrada baixa e bem reta, sentido a Barão, uma placa oficial de Rodovia marcando Km 18; chalés e entradas para comunidades e fazendas. Logo a frente, as ruínas da Fazenda Morro Alto (hoje Fazenda Califórnia) que pertencia ao Barão do Monte Alto.

Na chegada da cidade, sob o sol quente, o visual das palmeiras imperiais dando boas vindas e um oratório com Crucifixo e imagens de N.S. Aparecida e Santa Dulce dos Pobres.

No Centro, um patrimônio histórico do final do Século XIX (preservado pela Prefeitura Municipal e que terá nova reforma), conta a história de um povo e da economia do auge do café e do arroz: a Estação de “Morro Alto” concluída em 1885. Ela atraiu para suas proximidades, pessoas de maior poder aquisitivo, antes moradores do que é hoje a Vila do Arraial Velho. Dai formou-se um povoado com a construção de casas de comércio e depois as primeiras moradias. “A estrada de ferro foi fechada de vez em 22/01/1979, mas os trens de viagem deixaram de trafegar desde 1976” conta o historiador, professor e Bacharel em Direito, Silvério Soares de Azevedo.

Ig. Nossa Senhora Imaculada Conceição – Padroeira de Barão

Agradecimento ao prefeito Fabinho, ao vice Feliciano, ao historiador Silvério, ao morador ausente, Major PM Júlio Vilela e seus parceiros e amigos que vem trabalhando para alavancar o turismo em Barão do Monte Alto. Há projetos sendo elaborados.

VEJA NOSSA GALERIA DE FOTOS DA CAMINHADA… Clique em “Leia Mais”.

Ver Mais Notícias


7 Comments

  1. Parabéns Silvan Alves por mais essa bela reportagem percorrendo os distritos e a zonas rurais aqui da nossa região. Você é o único veículo de comunicação da nossa região que faz reportagens especiais. Nenhum outro site nunca fez essas reportagens especiais que você vem fazendo. Você está de parabéns!. Muitos distritos e áreas rurais ainda preservam muita beleza, história e precisa ser divulgada, apresentada pois muitos ainda não conhecem ou nunca passaram por essas redondezas, por esses trajetos. Parabéns, Silvan!. Que continue assim!.

Deixe uma resposta para Fernanda carolina Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *